domingo, 24 de maio de 2009

Bacias Hidrográficas Brasileiras

Eu fiz várias pesquisas na internet para encontrar mapas e textos sobre o relevo, clima, vegetação e bacias hidrográficas do Brasil. Observem como ficou:



Existem sete bacias hidrográficas no Brasil. Quatro delas destacam-se pela extensão e pela importância de seus rios principais: a Amazônica, a Platina, a do São Francisco e a do Tocantins-Araguaia. As demais (bacias do Nordeste, do Leste, do Sudeste e Sul) são formadas por rios menores, agrupados por sua localização. São as chamadas Bacias Secundárias.
Bacia Amazônica: É a nossa maior bacia hidrográfica. Seu principal rio, o Amazonas que nasce na cordilheira dos Andes, no Peru, entra no território brasileiro, com o nome de Solimões e, após receber as águas do rio Negro, passa a chamar-se Amazonas.
Bacia Platina: Os três principais rios dessa bacia - Paraná, Paraguai e Uruguai - nascem em território brasileiro e drenam terras do Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina. A bacia Platina, portanto, é constituída de três bacias secundárias.
Bacia do Paraná: É a segunda maior bacia e a de maior aproveitamento hidrelétrico do país. Isso porque, além de atravessar uma área de planalto, banha as mais importantes regiões industriais do Brasil: o Sudeste e o Sul.
Bacia do Paraguai: É a nossa maior bacia genuinamente de planície. Seu rio principal, o Paraguai, nasce no Brasil e atravessa terras paraguaias e argentinas. Suas cheias são responsáveis pela paisagem do Pantanal Mato-Grossense.
Bacia do Uruguai: O rio Uruguai é o menor dos formadores da bacia Platina. Nasce no Brasil e drena terras brasileiras, uruguaias e argentinas. Após 1 400 km de percurso, desemboca no estuário do Prata.
Bacia do Tocantins-Araguaia: Localizada na parte central do país, é a maior bacia inteiramente brasileira. Os dois rios formadores dessa bacia nascem no estado de Goiás. Depois de receber o Araguaia, o Tocantins segue rumo à sua foz no estado do Pará.
Bacia do São Francisco: O rio São Francisco nasce na serra da Canastra, em Minas Gerais. Depois de atravessar terras de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe, deságua no oceano Atlântico, na divisa desses dois últimos estados. Atravessa áreas de clima semi-árido (o Polígono das Secas), tornando-se fundamental para as populações que residem ao longo de seu percurso. O rio São Francisco, tipicamente de planalto, tem alto potencial hidrelétrico, com usinas que abastecem cidades, tanto da região Sudeste como da região Nordeste.

Um comentário:

Patrícia disse...

Olá, também sou professora de geografia e gostei muito de seu blog. Se você quiser, podemos trocar idéias. Visite-me. Parabéns pelas postagens. Beijos...